PROCON Caruaru encerra 2017 com várias ações positivas para o consumidor
PROCON Caruaru encerra 2017 com várias ações positivas para o consumidor

O Programa de Proteção e Orientação ao Consumidor (PROCON) fecha o ano de 2017 com várias ações positivas. Dentre elas, reuniões com representantes de todos os bancos do município de Caruaru, com o propósito de buscar melhorias no atendimento aos clientes, fiscalização noturna em bares e restaurantes da rua Silvino Macêdo, conhecida como Rua da Má Fama, entre outros estabelecimentos. Fiscalizações também foram realizadas em todos os dias dos festejos juninos na cidade, tanto no Pátio de Eventos Luiz Lua Gonzaga quanto no Alto do Moura.

O órgão teve participação, também, em eventos de nível nacional, como o 4º Colóquio de Proteção do Consumidor de Seguros, ocorrido em João Pessoa/PB; o Congresso de Direito do Consumidor do Ministério Público no Recife/PE; reunião da Secretaria Nacional do Consumidor em Brasília/DF; e 25ª Conferência da Associação Internacional de Direito do Consumidor em Porto Alegre/RS.

Em junho, foi instalado, no PROCON de Caruaru, um totem de conciliação. O equipamento tem o objetivo de ajudar os consumidores na hora de negociar com as empresas, possibilitando a realização de acordo através de videochamada com representantes de alguns fornecedores, emitindo, de forma imediata, o comprovante da negociação realizada, tudo supervisionado pelo PROCON. A inauguração da máquina tornou Caruaru pioneira  no interior do Estado, sediando o sétimo totem em funcionamento no Brasil.

O maior destaque deste ano foi a realização, em parceria com a Secretaria da Fazenda e Polícias Civil e Militar, de uma ação que objetivava investigar as atividades de uma agência de modelos que realizava "Seleção de modelos" na cidade com o intuito de angariar lucros através da venda casada de books fotográficos. A operação conseguiu evitar que mais de 40 consumidores fossem lesados pela referida empresa.

Foi realizado, ainda, entre julho e agosto, uma semana de mutirão de conciliação, com cerca de 14 bancos e instituições financeiras, CELPE e COMPESA e as operadoras de telefonia TIM, OI, CLARO e VIVO, onde centenas de consumidores puderam negociar suas dívidas.