Centro de Artesanato de Pernambuco completa cinco anos
Centro de Artesanato de Pernambuco completa cinco anos

Há meia década contribuindo para a valorização da cultura, do turismo e da economia pernambucana, o Centro de Artesanato de Pernambuco (CAP), unidade Recife, promoveu uma programação especial de aniversário na segunda-feira (25.09). Comandada pelo governador Paulo Câmara e pela primeira-dama Ana Luiza, a solenidade marcou a comemoração dos cinco anos de atividades do espaço, que é o maior e principal do setor no Estado, tendo movimentado R$ 13 milhões desde sua criação. Na ocasião, foi lançado um novo portal do artesanato pernambucano, que irá oferecer uma série de serviços e informações sobre o local, além de assuntos de interesse da área.

 “Uma alegria muito grande poder comemorar os cinco anos de um projeto tão bonito que aconteceu de forma tão transparente e que, hoje, está aberto aos pernambucanos e a todos os artesãos. E trabalhar com a cultura, a valorização dos nossos artistas e com a oferta de locais adequados para a comercialização dos desses produtos é muito importante para que essas pessoas possam evoluir no seu trabalho e possam sustentar e criar seus filhos a partir de sua arte”, ressaltou o governador.

Paulo defendeu ainda o trabalho de resgate da cultura pernambucana que é feita através de espaços como o CAP. “E esse espaço e tudo o que ele significa mostra que Pernambuco valoriza o seu passado, está junto com o seu presente e procura um futuro melhor para o futuro do seu povo. A gente sente orgulho de ter participado dessa história e ajudado a construir esse centro de artesanato, que é uma memória viva dos nossos trabalhos, da nossa cultura”, reforçou.

Atualmente, o Centro de Artesanato do Recife garante renda a mais de 1,4 mil artesões que comercializam suas peças no local. Visitam o CAP por mês cerca de 20 mil pernambucanos e turistas. Na loja, o público pode conferir mais de 25 mil obras com valores de R$ 2 a R$ 75 mil. A área da loja é divida em sete setores: mestres, souvenires, artesanato contemporâneo, cestaria, têxtil, trabalhos manuais e brinquedos populares.

Sob a responsabilidade da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (SDEC), através da AD Diper, o espaço funciona como ponto de convergência entre todas as iniciativas do Programa do Artesanato de Pernambuco (Pape), responsável pela Fenearte, Unidade Móvel do Artesanato e feiras artesanais realizadas em todo Brasil.

“E pensar que há cinco anos a gente concretizava esse sonho. Ao mesmo tempo em que a gente trouxe a Fiat para a Mata Norte e a Mondelez, que faz chocolate, para Vitória de Santo Antão, a gente trouxe para o Marco Zero - onde Pernambuco começou - a cultura do nosso Estado. Porque não há povo grande sem cultura, não há nação sem cultura. E nós, sob a liderança do governador Paulo Câmara, não só vamos manter esse espaço como vamos trabalhar para ampliar os serviços do CAP”, defendeu o secretário de Planejamento e Gestão, Márcio Stefanni.

Também acompanharam o governador na solenidade a secretária estadual da Mulher, Silvia Cordeiro; as deputadas Luciana Santos (Federal) e Laura Gomes (Estadual); a secretária de Turismo do Recife, Ana Paula Vilaça; e a arquiteta Luiza Nogueira, esposa do vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, Raul Henry.

HOMENAGEADO - A primeira-dama Ana Luiza aproveitou a solenidade para entregar o certificado de artesão mais antigo do Centro de Artesanato de Pernambuco ao escultor Nicola, de Jaboatão dos Guararapes.

NOVO SITE - O portal vai trazer informações sobre as duas unidades do Centro de Artesanato (Recife e Bezerros), Fenearte e Unidade Móvel do Artesanato. Além disso, o espaço virtual vai oferecer detalhes de como expor no local, retirada da carteira do artesão, entre outros serviços ao público. O portal contará, ainda, com histórias, vídeos e fotos de todos os mestres artesãos do Estado.

CENTRO DE MODA – Na oportunidade, o governador Paulo Câmara anunciou que Recife receberá, em 2018, o Centro da Moda de Pernambuco. O novo ambiente será instalado no antigo restaurante Boteco, que também funcionava no Armazém 11. O coordenador do Centro de Artesanato de Pernambuco, Thiago Angelus, explicou que os estudos para a criação do Centro de Moda já estão sendo realizados. “Estamos no processo de contratação do projeto arquitetônico, estamos também discutindo o modelo de projeto, conversando com profissionais e empresas do setor. A previsão é inaugurar esse espaço entre março e abril do próximo ano, com cerca de 700 profissionais compondo esse centro”, disse.

PROMOÇÕES - Até o final do mês, o público vai encontrar mais de 300 peças artesanais com descontos de até 50%. Há milhares de produtos disponíveis em madeira, cerâmica, couro e outras matérias-primas.

BALANÇO - Ao longo dos quase cinco anos, o Centro já movimentou quase R$ 13 milhões com a comercialização de mais de 620 mil obras. O mês de julho deste ano, por sua vez, foi o melhor em vendas desde a inauguração do local – se comparado aos outros meses de julho dos anos anteriores – com o faturamento de quase R$ 230 mil.